16 de dez de 2008

Quellinus, c.1650: Estudo em terracota e peça final em bronze.




http://www.rijksmuseum.nl/aria/aria_assets/BK-AM-51-7?id=BK-AM-51-7&page=2&lang=en&context_space=&context_id=

5 comentários:

  1. Muito bom! A construção anatômica das figuras é perfeita e no site fica bem mais visível. Só falta o sopro de Deus...

    ResponderExcluir
  2. éé, Claudia..mas eu acho que o sopro já foi dado pelo artista, mãos inteligentes que dominam a técnica, mãos esforçadas que dedicam horas a seu trabalho.
    Acredito que é legal ter bons exemplos entre os humanos mesmo, para sentirmos que há uma chance para nós também..
    Deixar na mão de outro poder muuito muuito grande pode permitir a procrastinação ou o comodismo, sei lá....
    Enfim, filo-teologia barata srsrrsrs

    ResponderExcluir
  3. Ei! Não foi isso que eu quis dizer... (onde está o seu senso de humor?)

    Mas, enfim, entendo que essa procrastinação resultante em filo-teologia barata como você diz, é o discurso de muitos pseudo-artistas que também se valem da retórica do conceito pra dizer ou fazer coisa nenhuma. Assim como a descrença é o respaldo dos pseudo-intelectuais que pretenciosamente acham que já desvendaram "tudo" com a leitura de algumas dúzias de livros. São tão clichês quanto os primeiros, só que, ao invés atribuirem à divindade a fortuidade dos acontecimentos, descambam para um comportamento hedonista, negando ou colocando muito além, tudo o que não se submete à sua necessidade infantil de superioridade intelectual.

    O grande poder está em nós, mas conhecer esse poder NÃO está ao alcance de todos...

    Não me subestime professora, não pense que aceito seus prejulgamentos...

    Passe bem.

    ResponderExcluir
  4. claudia!!! gostei!! vc tá fazendo uns comentários intensos, legal! meu senso de humor não desapareceu não, menina, ele é minha coluna de sustentação ! srsr sem ele, puts, fica dificil. Claro, às vezes o senso de humor se traveste de um pouco de cinismo..mas, vá lá, sou assim porque o mundo é duro lá fora ! kkkkkk
    Vc acha que te subestimei? relax, claudia, acho vc ótima!!!! é que meu texto, sem a entonação coloquial pode parecer mais duro...Parece que vc pensou que eu tava comentando algo sobre vc? desculpe, em nenhum momento me passou pela cabeça isso...
    Aliás, o que vc comenta sobre aqueles intelectuais que acham que desvendaram tudo: é por isso que me afasto cada vez mais da academia... como dizia Frank Zappa "está cheirando mal" rssr (Jazz isn't dead, it just smells funny)
    beijus...espero réplica!!!!!!

    ps: quando escrevi "filo-teologia barata" me referia a MEUS COMENTÁRIOS para fechar o texto.....

    ResponderExcluir
  5. Eu sempre gostei do seu senso de humor professora!

    Essa capacidade que algumas pessoas tem, de rebater a diversidade de situações que a vida impõe, com disposição de espírito é uma das virtudes que eu mais admiro...
    Tenho que dizer que achei mesmo que você estivesse se referindo à minha maneira de pensar, e nessas circunstâncias sou intensa e até severa nas minhas colocações. Mas, não cultivo sentimentos negativos, apenas digo o que sinto sem me isentar dos equívocos e se foi o caso, então, as desculpas são minhas.

    Você é uma pessoa que eu estimo muito, ainda que outrora eu não tenha demonstrado...
    Peço que me perdoe por isso, e por qualquer outra chateação que um dia eu possa ter te causado.



    Ah! Eu também pretendo ficar longe dessa academia, que pensa que pode "atestar o saber" e reduzir as pessoas e suas experiências aos seus limitados paradigmas. Também quero a distância desses senhores, os donos da verdade! rsrsrs...
    E você profa. Você não precisa meeeeeeesmo dela, pra nada, nadinha...


    Abracos!



    obs.: Em meu primeiro comentário não me referi à energia imanente da obra que entendo como o resultado da materialização do pensamento criador do artísta aliado a todos os esforços de suas ações... apenas brinquei com a possibilidade de uma divindade se apropriar daquela forma para dar à ela uma "vida" externa...

    ResponderExcluir