24 de nov de 2008

Uma lembrancinha....!!!!!

Kathe Kollwitz no MAC-USP

Em São Paulo, No Museu de Arte Contemporânea na Cidade Universitária temos a sorte de poder ver uma gravura original da artista.
Visitem o site: http://www.macvirtual.usp.br/mac/templates/projetos/seculoxx/modulo1/expressionismo/exp_alemao/kathekollwitz/index.html

Kathe Kollwitz, algumas esculturas.



























Casada com um médico, mãe de dois filhos, morava na periferia de Berlim.
Em 1929 foi a primeira mulher a se tornar membro da Academia de Belas Artes da Prússia, pela encomenda de um memorial de guerra.
Foi perseguida pelos nazistas, expulsa em 1933 e proibida de expor.
Vários trabalhos seus representam mães que protegem os filhos, ela mesma perdeu um
filho na I Guerra Mundial.

Kathe Kollwitz no Museu Nacional de Mulheres Artistas. Washington D.C.XILOGRAVURAS







Käthe Kollwitz (1867-1945). ESCULTURAS









Käthe Kollwitz (1867-1945) desenhista, pintora, gravurista e escultora alemã


Representou a natureza humana, a infância e a dor femenina no período entre-guerras.


Temas do século XX sob sensibilidade expressionista.


Como temas podemos pensar então: classe operária, fome, guerra e pobreza.

Kathe Kollwitz. artista alemã.




Kathe Kollwitz expressionista alemã. desenho. AUTO-RETRATOS
















21 de nov de 2008

PODEROSO CABALLERO ES DON DINERO, poesia satírica de Quevedo

PODEROSO CABALLERO ES DON DINERO

Madre, yo al oro me humillo, Él es mi amante y mi amado,
Pues de puro enamorado De contino anda amarillo.
Que pues doblón o sencillo Hace todo cuanto quiero, Poderoso Caballero Es don Dinero.

Nace en las Indias honrado, Donde el Mundo le acompaña;
Viene a morir en España, Y es en Génova enterrado.
Y pues quien le trae al lado Es hermoso, aunque sea fiero, Poderoso Caballero Es don Dinero.

Es galán, y es como un oro, Tiene quebrado el color, Persona de gran valor, Tan Cristiano como Moro.
Pues que da y quita el decoro Y quebranta cualquier fuero, Poderoso Caballero Es don Dinero.

Son sus padres principales, Y es de nobles descendiente, Porque en las venas de Oriente Todas las sangres son Reales.
Y pues es quien hace iguales Al duque y al ganadero, Poderoso Caballero Es don Dinero.

Mas ¿a quién no maravilla Ver en su gloria, sin tasa, Que es lo menos de su casa Doña Blanca de Castilla?
Pero pues da al bajo silla Y al cobarde hace guerrero, Poderoso Caballero Es don Dinero.

Sus escudos de Armas nobles Son siempre tan principales, Que sin sus Escudos Reales No hay Escudos de armas dobles.
Y pues a los mismos robles Da codicia su minero, Poderoso Caballero Es don Dinero.

Por importar en los tratos Y dar tan buenos consejos, En las Casas de los viejos Gatos le guardan de gatos.
Y pues él rompe recatos Y ablanda al juez más severo, Poderoso Caballero Es don Dinero.

Y es tanta su majestad (Aunque son sus duelos hartos), Que con haberle hecho cuartos, No pierde su autoridad.
Pero pues da calidad Al noble y al pordiosero, Poderoso Caballero Es don Dinero.

Nunca vi Damas ingratas A su gusto y afición, Que a las caras de un doblón Hacen sus caras baratas.
Y pues las hace bravatas Desde una bolsa de cuero, Poderoso Caballero Es don Dinero.

Más valen en cualquier tierra, (Mirad si es harto sagaz) Sus escudos en la paz Que rodelas en la guerra.
Y pues al pobre le entierra Y hace proprio al forastero, Poderoso Caballero Es don Dinero.

Francisco de Quevedo y Villegas

Poesía nunca sai de moda..e lamentavelmente os temas tampouco....



Poesía: PODEROSO CABALLERO ES DON DINERO
Autor: Francisco de Quevedo y Villegas, nasceu em Madri em 1580.
Escritor, estudou teologia na Universidade de Valladolid.
Foi preso e desterrado várias vezes.
Além das obras satíricas, há imenso número de poemas escritos por Quevedo.

link da imagem


nao dei o link de esta imagem:

aqui está:

enquanto isso na América Latina...os efeitos da mentira das bolsas


Admiravel mundo novo...dinheiru !!!!!!!!!!!!!!!!

enquanto isso nos mercados de arte pobres.....


Deu na folha de sao paulo:


Se o crash assusta lá fora, o tombo deverá ser menor aqui dentro. Pelo menos é o que esperam galeristas e colecionadores ouvidos pela Folha. Para eles, a arte latino-americana não teve o inchaço registrado no resto do mundo, mantendo seus preços no mesmo patamar ao longo dos anos.
"Nós não temos bolha, não temos nenhum Damien Hirst, nenhum Jeff Koons", compara a galerista Luisa Strina. "É uma vantagem porque não vamos nunca ter de baixar os preços de ninguém."
Mas isso não se estende a todos. O galerista Jones Bergamin, diretor da Bolsa de Arte do Rio, acredita que apenas obras mais raras devem manter o preço. "Agora, trabalhos de qualidade média e de arte contemporânea vão ter que dar uma recuada."
Para Ali Cordero Casal, diretor de um fundo da Venezuela para promover a arte do país nos EUA, a queda da arte no continente não será tão grave, engrossando o coro dos que acreditam na força dos mercados emergentes no quadro da crise global. "O momento é excelente para a arte latino-americana", disse Casal à Folha.
Estrellita Brodsky, conselheira do MoMA, concorda: "A crise vai desacelerar o mercado, mas a esperança é que não será tão grave, já que não existem preços inflados".

FERNANDA EZABELLAcolaboração para a Folha de S.Paulo

SILAS MARTÍenviado especial a Nova York

Ainda falando do óbvio....Artista inglês Damien Hirst reconhece que arte está cara demais

da Reuters:
O artista plástico inglês Damien Hirst O inglês, de 43 anos, a quem se atribui uma fortuna de cerca de 200 milhões de libras (R$ 681,72 milhões, aproximadamente), acrescenta: "Acho que [o ajuste nos preços do mercado da arte] é bom, pois haviam se tornado irreais".
"A gente começava a acreditar que estava ungido por Deus. Sempre pensei que a arte vale o que querem pagar por ela", disse.
Hirst afirma que sua obra futura será regida pelas leis do mercado. Quando se quer vender uma obra nova e as pessoas não têm mais, ou o artista não se importa, "ou espera até que todos possam comprar sua obra ou as vende mais barata", diz.
No entanto, o artista inglês expressa seu desejo de criar mais obras de ouro, após o êxito de "The Golden Calf" (o bezerro de ouro, em tradução literal) um animal conservado em formol com chifres e patas de ouro criado para seu bem-sucedido leilão na Sotheby's.

Artista inglês Damien Hirst reconhece que arte está cara demais ...tá brincando?!?!


Artista inglês Damien Hirst reconhece que arte está cara demais ...vc tá brincando??!!

Jura?!?!? ninguém tinha percebido........................

:P


da Efe, em Londres :

O artista plástico inglês Damien Hirst, que recentemente embolsou cerca de 100 milhões de libras (cerca de R$ 342 milhões) em um leilão de sua última obra na casa de leilões Sotheby's, reconhece que a arte se tornou cara demais em uma época de recessão econômica como a atual.
Em declarações publicadas nesta segunda-feira pelo jornal "The Independent", Hirst se refere ao fato de não ter sido vendido, semana passada em Nova York, uma pintura sua com quatro caveiras de cores que tinha valor estimado em U$ 3 milhões (cerca de R$ 6,84 milhões).

14 de nov de 2008

Espaço amigo vendendo meus quadros EM PROMOÇÃO!!!








Oi pessoal em São Paulo:
Há um espaço novo para cuidar do bem-estar e saúde na Vila Mariana: http://www.villasaude.com.br/
Neste mês de inaguração coloquei vários quadros meus para decorar o lugar de nossos amigos.
Aproveitem, se quiserem adquirir um quadro em preço promocional para presentear no Natal!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Endereço: Rua Afonso Celso 949 Vila Mariana.
das 10 às 20 hs, tem um charmoso café esperando!

2 de nov de 2008

Uma lembrancinha....de cabeça cheia!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


MARY CASSAT desenho a pastel seco.


Os artistas impressionistas fizeram obras-primas com a técnica do pastel seco.
Tida como arte menor na época, se comparada à pintura a óleo, esta técnica exige sutileza e domínio do artista pois as formas devem ser apenas sugeridas para que a vibração do pigmento em pó seja mantida.
Degas também foi mestre nesta técnica.
Mary Cassat, com seus temas intimistas e principalmente retratos soube aproveitar com delicadeza e mão moderna este material.

Mary Cassat, desenhos.




Mary Cassat (1844-1926) Auto-retrato e retratos de Mary Cassat.











MARY CASSAT IMPRESSIONISTA (1844-1926)


Mary Cassat comenta sobre o convite de Degas para participar do grupo dos Impressionistas:


"Eu aceitei com alegria. Finalmente poderia trabalhar com absoluta independencia sem levar em consideração a opinião de um juri. Eu já reconhecera quem eram meus verdadeiros mestres. Eu admirava Manet, Courbet e Degas.

Eu odiava a arte convencional. "

Mary Cassat
















Ela foi convidada por Degas a participar das exposições independentes dos Impressionistas, isto é, fazer exposições fora do circuito de Salões Nacionais, com júris de visão acadêmica e tradicionalista.





Estas exposições abrem caminho para uma nova forma de desenhar, modelar e pintar na história da arte do século 19 e influenciaram a arte moderna do século 20.

Mary Cassat
















Foi a única artista americana convidada a participar das Exposições dos Independentes, o grupo Impressionista em Paris.